A História do Videoclipe - Parte 2/4

Se no post anterior vimos que essa história de videoclipe surgiu no final do século 19 (ou algo parecido com o videoclipe), que seus avós (os do videoclipe) vieram com toda a força portando os nomes de "Vitaphone" e posteriormente viraram animações pelas mãos de Walt Disney e da Warner Brothers, estava na hora de o "pai" do videoclipe surgir e chegar ao grande público.

O ano é 1940, na verdade meio da década de 40, a Segunda Grande guerra ja apontava seu final, Hitler ja tinha baixado a guarda e o tiro de misericórdia seria dado no Japão logo logo; Na América (a terra onde tudo dá certo!) um cantor negro do sul fazia muito sucesso entre as multidões: Louis Jordan, também chamado de "The King of The Jukebox"; Inspirado pelo também "bluseiro" Nick Caves, que no final dos anos 20 tinha gravado pequenos videos musicais, Louis Jordan começa a gravar e distribuir pelos cinemas dos EUA pequenos filmes promocionais de suas músicas. Diferentemente dos Vitaphones e dos vídeos de Caves e outros cantores, Jordan tinha uma nítida preocupação com figurinos, interpretações e principalmente contar uma história para a platéia:




Louis Jordan cantando um de seus sucessos: Deacon Jones


Além da produção feita por Louis Jordan para o cinema um novo formato, ancorado na idéia da Televisão, se tornava popular nos Estados Unidos: era a "Jukebox" da Panoram, ou simplesmente Panoram, que ao invés de apenas tocar músicas, passava mini-filmes musicais chamados "Soundies". O fenômeno Panoram foi tão grande nos EUA, que vários dos artistas que apareciam cantando nos "Soundies" sairam do anonimato completo, para virar estrelas com turnês e shows lotados por Estados Unidos e México.



Aqui podemos ver Ginger Harmon & The Mercer Brothers, estrelas da "era Panoram" nos EUA. Detalhe: Anos 40! Na imagem abaixo é possível ver um autêntico Panoram. O aparelho tinha forma de "Jukebox", mas era um pouco menor que uma geladeira da época.







Uma Panoram em funcionamento em pleno século XXI


Com o fim definitivo da Segunda Guerra e a televisão chegando as casas das pessoas de forma mais massiva, as Panoram's foram esquecidas - a limitação de ter sempre a mesma "programação" e o preço caro foram fatores cruciais para tal - mas o formato dos "Promotional Clips" (agora sim, o pai do videoclipe) não. Não podemos esquecer que além do sucesso Panoram e das "experimentações" de Louis Jordan, um dos grandes ponta-pés para a produção dos "Promotional Films" foram os filmes musicais. Muito populares dos anos 30 até o final dos anos 60, os musicais (herança da broadway) empurraram o gosto do americano médio e fizeram o consumo de música e seus subprodutos explodir no país:




A Noviça Rebelde (The Sound Of Music, EUA 1965) que alçou Julie Andrews ao patamar de "Diva" e ajudou a "enjetar" a música no gosto e na vida dos americanos


Rapidamente os "promos" se tornaram a solução que várias bandas precisavam para "estar" em um mesmo lugar simultaneamente. Enquanto se fazia um show na "costa oeste" ou na Inglaterra era possível "tocar na televisão" em Nova Iorque ou Boston. No entanto nada chamou mais a atenção do que as cores, sim a tecnologia de gravar "colorido" se barateava e ficava mais fácil fazer um produto de qualidade e que chamasse a atenção do público, como é possível ver nesse famoso "promo" do The Animals - House of the Rising Sun de 1964:



Chama a atenção os primários movimentos de câmera e a interação da banda (vocalista, baixista e guitarrista) com o cenários, em promo films anteriores as bandas se limitavam a ficar estáticas.


O cenário já estava armado para aqueles que popularizariam o formato e transformariam os "Promotional Films" em eventos, com calendário de lançamento e grande expectativa por parte do público: OS BEATLES.


Curiosidades:

- Para quem está curioso em saber como se deu o processo de surgimento do videoclipe no Brasil, AGUARDE! Ainda falarei sobre isso logo logo.

- Louis Jordan foi um dos primeiros artistas negros a ganhar destaque em cinemas de todo os EUA, sua música foi muito popular inclusive em regiões predominantemente brancas daquele país.

- As Panorams foram comercializadas até os anos 80, mais ou menos, mesmo com sua popularidade em baixa na "década perdida", elas conservam clubes e mais clubes de adimiradores do formato até hoje. Coisas de americano.

0 comments: