A História do Videoclipe - Parte 4/4

Depois do furacão Beatles varrerem os anos 60, abrindo portas e popularizando o formato dos "Promotional Films" chegamos aos anos 70. A Guerra Fria alcançaria o seu auge; Nixon se envolveria em Watergate; A América Latina se aprofundava nos sombrios anos das Ditaduras Militares (principalmente Argentina, Brasil e Chile); no entanto o mundo musical fervilhava.

De 1966 até 1973, aquilo que era considerado apenas "uma extravagância", começava a crescer e principalmente tomar importância nos esquemas de divulgação de músicos e gravadoras. Bob Dylan, The Rolling Stones, The Who, Pink Floyd (que fizeram uma série de memoráveis clipes nessa época e que ganharão um post exclusivo aqui no blog em uma próxima ocasião) além de vários artistas em diversas partes do mundo (incluindo aí o Brasil) começaram a produzir "promos".

Só que o grande destaque estético vai para David Bowie, que junto com o fotografo profissional Mick Rock, trouxe novas formas, texturas e visões de fazer para o formato. Rock foi o primeiro não-diretor de tv ou cinema a produzir "promos" (que a essa altura ja se chamava Clipe), diferentemente dos outros diretores que basicamente trabalhavam em cima de um roteiro pré-estabelecido com banda e gravadora, Mick tinha total liberdade criativa. A parceria foi responsável por 4 obras primas do pop do camaleão David Bowie: "John, I'm Only Dancing"; The Jean Genie"; "Space Oddity" e "Life on Mars", que é o preferido dos 4 clipes do diretor.

David Bowie, Life on Mars from Scot Stafford on Vimeo.


David Bowie - Life on Mars. Dirigido por Mick Rock.

Se o camaleão David Bowie trouxe novas texturas fotográficas e vertentes para o videoclipe na primeira metade dos anos 70, o resto da década seria marcada pelo advento daqueles que se tornariam a engrenagem para o surgimento e manutenção de diversos artistas durate os próximos anos: Os canais musicais. Sim, no Plural.

(Note, demos uma corrida no tempo e não vamos citar por agora o DEVO - e sua primeira coletânea de clipes feita exclusivamente para videocassete, uma mídia que surgia na época -; Não vamos falar do Alice Cooper; do Queen e também da inserção dos clipes no Top of The Tops, tradicional programa musical britânico. Não vamos falar por agora. Futuramente todos ganharão posts próprios com bastante pesquisa e análise :) )

MTV - Como tudo começou

Em 1977 a produção de videoclipes ja era bastante recorrente, e os programas que os passavem tinham uma resposta bastante interessante de audiência, tanto que a Warner Cable (Divisão da Warner Communications) lançou um novo sistema de transmissão de tv a cabo chamado QUBE. Dentro do "sistema QUBE" eram oferecidos uma gama de canais especializados, entre eles um canal de música, a audiência poderia através de um sistema de botões inovadores escolher "seus clipes prediletos", interagindo assim com o canal. NOTEM, estamos falando de 1977. A parada diária de clipes (uma espécie de Disk MTV) era montada através dos votos dados nesse "controle remoto".



Logo do QUBE. Particularmente acho modernissimo esse logo e todo o conceito dos canais os quais podemos ver no video aqui embaixo como funcionava.



Quem tiver mais interesse de saber o funcionamento e a qualidade e quantidade da produção da QUBE no final dos anos 70, é só assistir esta playlist do youtube


Foi no entanto com o executivo Robert W. Pittman (que depois se tornaria o BIG BOSS da MTV Network) que o formato MTV tomou corpo e forma. Inspirado em dois programas premiados no EMMY Awards: Um do antigo astro do The Monkees (lembram?) chamado PopClips - programas de 15 minutos com videoclipes intercalando a programação da WSNBC - e o Neozelandês "Radio with Pictures", uma idéia local para solucionar a não presença dos artistas, que não gostavam muito de encarar horas e horas de viagem até a Nova Zelândia.

A Experiência QUBE ja tinha se provado "certeira"; Existiam outras experiências "videoclipticas" dando-se bem mundo a fora; Por que não apostar?

Portanto, em 1° de Agosto de 1981 exatamente às 12:01 (meio dia e um minuto) entrava no ar nos EUA, para os assinantes da Warner Cable, a MTV. Com as míticas palavras que depois virariam "bordão" do canal: "Ladies and Gentlemen, rock and roll" seguido do primeiro videoclipe: "Video Killed the Radio Star" da banda The Buggles.



The Buggles - Video Killed the Radio Star. Mensagem subliminar era o forte da MTV já no seu lançamento.


Os produtores do canal tiveram a grande sacada de colocar nas vinhetas da TV grandes acontecimentos televisivos até então, como a chegada do Homem a Lua; Os escandalos de Nixon etc e comparar o surgimento do canal com isso. O que de certa forma foi, afinal, o que seria da indústria da música sem a MTV ou o "formato MTV" nos anos 80 e parte dos 90?



Neil Armstrong, o primeiro astronauta a pisar na lua segura o logo da MTV, na vinheta épica do surgimento da emissora.

24 horas de videoclipes por dia, 7 dias por semana em estéreo, era isso que prometia a programação do novo canal. Que tinha 5 apresentadores jovens e descolados, que imprimiam a cara e o jeito do jovem americano da época, eram os VJ's. Ok, o canal estava criado; Já fazia um certo sucesso, mas como ter 24h de clipes se os que tinham sido produzidos até então (e que valiam a pena passar na tv) eram muito poucos?? A solução foi investir dinheiro do próprio bolso. E a emissora investiu pesado, praticamente todos os videoclipes da primeira metade dos anos 80 foram co-produzidos pela MTV. Muitos são os artistas que devem a ela o impulsionamento de suas carreiras (incluindo aí diretores e produtores, que depois se tornariam estrelas do cinema, também).



Comercial dos anos 80 da MTV, com a campanha: "I want my MTV". Que juntava as grandes estrelas da época para induzirem os jovens a pedirem o canal em suas empresas de cabo.

A construção da imagem e identidade da cultura pop como a conhecemos hoje, estava no ínicio. Anos se passaram, a MTV deixou de ter no clipe seu principal produto, o Youtube surgiu e com ele uma nova onda que estamos vivendo agora... e alguém sabe para onde estamos indo?

O Videoclipe será o assunto recorrente dos posts: histórias, diretores, movimentos, curiosidades sobre o formato. Vocês não perdem por esperar. :)

CURIOSIDADES

- ‘A velha a fiar’, música de Aldo Taranto, interpretada pelo Trio Irakitã. É considerado o primeiro “videoclipe” brasileiro [1964], foi dirigido pelo cineasta brasileiro Humberto Mauro.



- Apoiada no sucesso que a MTV fazia nos EUA, a Rede Globo encomendou a um "jovem rapaz" um programa inspirado no formato. Era o "Clip Clip" apresentado por Maurício Mattar (novinho, novinho) e dirigido pelo Boninho, sim, o diretor do Big Brother. Foi o primeiro "grande projeto" do diretor na emissora.



- O primeiro videoclipe a passar na MTV Brasil foi Marina Lima - Garota de Ipanema. Por ser a música brasileira mais executada no mundo e também, pela Marina ser uma artista jovem e estouradaça na época.

- Madonna, Michael Jackson, Cindy Lauper e todos os grandes artistas dos anos 80 e 90 devem parte de seu sucesso a MTV. Tanto que durante muito tempo a discussão se dava em torno do canal se achar mais e maior do que a própria música. Ditando quem fazia ou não sucesso no mainstream musical.

0 comments: